Escondendo Coisas Durante anos, Sensei nos disse para “roubar” as técnicas quando estivéssemos no Japão. Porque se você levasse um movimento ou um Waza (N.T.: “técnica formal”), ninguém perderia nada. Então, fui surpreendido no último domingo, pois ele disse exatamente o oposto!

O que disse é que, se você pensa sobre “roubar” uma técnica, então é um ladrão. (1)

No entanto, ambas as opções estão corretas, porque esta questão é apenas um problema na linha do tempo. Então, como podemos conciliar esse aparente paradoxo? Aqui está a minha proposta de explicação.

Sensei continua dizendo que está ensinando aos Jūgodan (15º Dan) exclusivamente e nos obriga a nos libertar do Waza. Se você é um Jūgodan e continua a “roubar” técnicas, então não tem tempo para desenvolver o seu taijutsu, livre da Waza. Você é um ladrão. Mas há um momento em que você é um jovem Padawan (2) e as coisas não fazem muito sentido. É ainda pior se tem a oportunidade de treinar no Japão.

A Bujinkan é um Sanshin com três níveis: Shidōshi, Jūdan, Jūgodan e em cada nível temos de ajustar o modo como aprendemos. Como Shidōshi, você “visita” as escolas, as armas e desenvolve sua compreensão de todo o sistema. Supostamente, tem um bom conhecimento de tudo, falta apenas Kūden, a experiência. Na minha opinião, este é o período em que tem que “roubar” o que está faltando.

Como escrevi anteriormente, não te priva de nada, apenas te ajuda a preencher as lacunas técnicas que pode ter. Quando chegar ao nível Jūdan, o período de “roubo” acabou. Agora, é hora de “cavar” mais fundo em suas habilidades através dos cinco elementos. Como sabe, cada graduação acima do Jūdan está ligada a cada um dos cinco elementos.

Quando, finalmente, chegar ao nível Jūgodan, então, começa a expressar seu sentimento sobre Budō e é isso o que passa para seus alunos, o que torna possível facilmente nomear o professor de qualquer Shidōshi, pois percebe-se nos tatamis. Nós todos temos um “toque” especial e os nossos alunos se comportam exatamente como nós.

No ano passado, Sensei pediu aos Dai Shihan Japoneses para ensinar apenas a partir do Denshō (N.T.: “Ensinamentos Registrados”). Sensei ensinou apenas aos Jūgodan, aos Dai Shihan deu a responsabilidade de preparar a próxima geração, e por esse motivo, eles foram convidados a ensinar apenas a partir do Denshō. Mas também com eles você vai aprender uma abordagem pessoal do Budō. Na verdade, cada um deles tem um “sabor” único de Budō. O que você consegue quando treina com todos eles é uma oportunidade de desenvolver o seu mix. Este é o objetivo final, porque Sensei quer que os Jūgodan desenvolvam sua interpretação do Budō. Este último nível vem depois de aprender o básico, as ryūha e as armas. Depois que você desenvolveu um bom entendimento do Budō.

Você precisa criar o seu “sabor” de Budō e para tal, não pode roubar. Tem que ser espontâneo e criativo. Roubando neste nível, seria como a cópia de Mona Lisa de Da Vinci. Mesmo que o faça quase perfeito, nunca será o original da Mona Lisa. Mas porque nós temos que ser livres de formas, temos de aprendê-las antes com precisão, e nesta fase de aprendizagem, é impossível ter um fluxo natural. O fluxo natural não vem de “qualquer” lugar. Até lá, temos de “roubar” o que não temos.

Então, agora entende porque esse “aparente” paradoxo não é, de fato, um deles. Um novato nunca será capaz de compreender a profundidade do Budō do Sensei, o que você vê nos tatamis não é exatamente o que parece. O melhor é copiar (roubar) o que seus professores fazem no dōjō até que você o tenha. Imagine como se fossem andaimes. São suportes a sua progressão até um certo ponto. Mas se você parar nesse nível, não há nenhuma possibilidade de alcançar a liberdade de movimento que Sensei está ensinando em todas as aulas.

De novo. Quando suas habilidades técnicas ficarem boas, tem de parar de roubar técnicas. Ao contrário, tem de fazer a sua maneira pessoal de se mover desenvolvida por anos ao polir suas técnicas.

Quando treina, deve entender o gokui, a essência do que vê. Confie em mim, este é um processo muito longo onde nunca sabemos se a nossa visão é coerente com a luta real. Budō é proveniente de combate real, não a partir de um esporte. Nossas técnicas são velhas e vêm de uma seleção natural onde as melhores (e sortudas) sobreviveram em campo de batalha.

Existem cinco princípios de Heiho (兵法, Estratégia Japonesa) e Waza não é um deles, são eles:

Ten no Ri, 天の理, o princípio do céu (tempo e clima)

Chi no Ri, 地の理, o princípio da terra (terreno e ambiente)

Jin no Ri, 人の理, o princípio do homem (forças de presença e as tropas)

Heiki no Ri, 兵器の理, o princípio de armas (as armas em cada lado)

Jōyō no Ri, 吉の理, o princípio da oportunidade (aproveitamento das oportunidades e capacidade de adaptação)

No nível de estratégia, não há mais tempo para roubar, você tem o que tem. No nível Jūgodan, você é responsável por suas ações e seu único objetivo é sobreviver com o que adquiriu.

Se você é um verdadeiro Shihan, pare de se comportar como um ladrão.

_____________________________

  1. Mensagem para Darius de Indianapolis: Desculpe-me, lhe disse para “roubar” a técnica, apenas um dia antes do Sensei dizer que não deveria. Um momento ruim, acho. 🙂
  2. Para aqueles que dormem desde 1977: http://starwars.wikia.com/wiki/Padawan

 

Título Original: Are You A Thief?
Autor: Arnaud Cousergue (Shiro Kuma´s Blog)
Fonte: https://kumafr.wordpress.com/2015/05/26/are-you-a-thief

Thank you for share with us Arnaud Cousergue!
Traduzido por: Pedro Henrique

* Este trabalho de tradução visa auxiliar praticantes que entendem a língua portuguesa. Também visa ajudar na difusão dos princípios fundamentais do Budō Taijutsu ensinado pelo Soke e os entendimentos dos instrutores em todo mundo. Como regra geral, tento sempre que possível aproximar ao máximo do original escrito, superando assim, as barreiras da tradução. Antes de efetuar o trabalho, os autores são consultados para obtermos a devida autorização. Por ser um trabalho humano, pode conter falhas de tradução. Dessa forma, se encontrar alguma, por favor, nos encaminhe pelos comentários. As opiniões expressas pelos autores são de sua inteira responsabilidade.

* The goal of translation of this post is to assist martial artists who understand Brazilian Portuguese. It also aims to assist in disseminating the basic principles taught by Soke of Budō Taijutsu with support of Bujinkan instructors worldwide. As a general rule, I try whenever possible to approximate to original writing, thus overcoming the barriers of translation. Before performing the work, authors are consulted to obtain their permission. Naturally,  it can contain mistakes. Therefore, if you find any, please comment to us below. The opinions expressed by the authors are their own responsibility.

* El objetivo de la traducción de este post es para ayudar a los artistas marciales que entienden el portugués de Brasil. También tiene como objetivo ayudar en la difusión de los principios básicos impartidos por Soke del Budo Taijutsu con el apoyo de los instructores de la Bujinkan en todo el mundo. Como regla general, intento siempre que sea posible a la aproximación a la escritura original, superando así las barreras de la traducción. Antes de realizar el trabajo, los autores son consultados para obtener su permiso. Naturalmente, puede contener errores. Por lo tanto, si usted encuentra alguna, por favor, comente con nosotros abajo. Las opiniones expresadas por los autores son de su exclusiva responsabilidad.

Advertisements