Equilíbrio traz benefícios a saúde
Equilíbrio traz benefícios a saúde

Em Budo Taijutsu nós temos uma série de posturas gerais para o entendimento/experiência de certos conceitos. Muitas delas mais evidentes, outras são posturas de transição entre uma e outra. Na verdade, cada uma delas tem diversos propósitos por trás e se deixar a criatividade rolar, encontrará muitos. Cada uma é um mundo. Quando flexionamos bastante os joelhos e assumimos posturas bem baixas podemos nos alongar e fortalecer. Como nos agachamentos comuns.

Cada um de nós tem um tipo físico. Esse tipo físico tem a ver com uma série de fatores. Um deles é o seu bem-estar em relação as ações que executa e a localidade em que vive. Cada ação que executa pode, ao longo do tempo, melhorar ou piorar sua mobilidade e o bem-estar de suas articulações. Dependendo do nosso tipo físico, podemos estar mais adaptados a determinados exercícios do que outros. São fatores naturais que muitas vezes ultrapassam o escopo da nossa vida (relacionados a nossa “descendência”, por exemplo), pois a origem pode ser muito antiga.

Os descendentes de latino-americanos, são diferentes dos descentes de europeus que por sua vez são diferentes dos asiáticos que são diferentes dos africanos e por aí vai. Obviamente, não estou falando da origem, o início de tudo, o topo. Falo de forma geral, nas nossas condições de praticantes e nas nossas relações mais próximas. Muito dos nossos tipos físicos são bem diferentes dos japoneses. Moramos em locais diferentes com climas diferentes e vivemos situações completamente diferentes. Nosso corpo é adaptado a isso.

Dependendo da técnica, a forma como executamos deve mudar considerando nosso corpo. Cada um de nós tem suas medidas e uma série de particularidades. Quando executamos algo como “padrão”, sem considerar esses fatores, podemos encontrar problemas de saúde sérios ao longo dos anos de treinamento. Problemas que podem nos fazer parar o treinamento para sempre. Todos nós treinamos na intenção de praticar até o fim de nossas vidas. Você sabe, chegar talvez a uma idade muito avançada e ainda treinar, claro, com as devidas adaptações. Por muitos anos, como Hatsumi Sensei.

Mas quando não consideramos esses fatores muitos problemas começam a surgir ao longo dos anos. Não estou falando das lesões mais simples, mas aquelas que realmente alteram nosso destino. Quando estive no Japão em 2013, notei inúmeras queixas e comentários sobre os comuns problemas de joelho e tornozelo de praticantes de Budo Taijutsu que vão ao Japão. É comum e numeroso. Lembro-me do Duncan Shihan, explicando que essas posturas muito baixas são importantes para fortalecer, alongar (entre outros motivos), mas não são naturais para muito dos ocidentais. Não é do nosso cotidiano fazer isso frequentemente e em qualquer condição. Não tem muito a ver com nosso estilo de vida e tipo físico.

Os Japoneses preparam seus joelhos e tornozelos em muitos dos “rituais“ diários do seu próprio cotidiano. Não como treinamento, mas por causa da sua cultura e tipo físico. Nós precisamos preparar os nossos, mas entender nossos limites. Falo dos limites físicos, não os emocionais. Mais ainda, entender que passar deles, nem sempre é sobre ser uma pessoa esforçada. Na verdade, pode ser exatamente o contrário, uma pessoa desleixada com a sua saúde e seu futuro.

Para entender melhor, pense comigo a seguinte situação e imagine:

  • Você vai a sua academia/ginásio, fazer sua musculação diária e tem seu agachamento para praticar em sua lista de exercícios.
  • Você tem um número específico de séries, pois sabe que existe um momento em que deve parar e praticar outros exercícios, sabe também o benefício de equilibrar esses números.
  • Mas de hoje em diante, você ignora esses números e resolve fazer todos os exercícios da sua lista, independente da condição, em postura extremamente baixa, agachado. Sempre. Anda e se movimenta em todos exercícios agachado. Só para quando o treino termina.
  • Satisfeito e feliz, decide fazer o mesmo por 10 anos. Depois 20…

Meniscos

Nessas condições, qual o resultado? Bem, o resultado é que temos muitos praticantes com problemas nos joelhos e tornozelos por excesso de posturas baixas. Na verdade, não só pelo excesso. É a questão do contexto. Os fatores gerais que não são considerados. Por exemplo, segundo as pesquisas do Dr. Kelly Starrett, muitos dos agachamentos habituais esmigalham o menisco medial em poucos anos de treinamento, um importante amortecedor do joelho. Agora, imagine quando adicionamos movimentações entre esses agachamentos e carga.

Dessa forma, é muito importante entender nossas medidas, trabalhar alongamentos complexos para quadris/ancas e tornozelos, a fim de que os joelhos e tornozelos não sofram tanto, perdendo suas capacidade ao longo do tempo. Além disso, é importante colocar essas posturas baixas em contexto realmente necessário para preservar sua saúde. Hoje, nós temos excelentes exemplos de praticantes mais antigos que conseguiram entender esse “equilíbrio”, pois muitos dos praticantes antigos estão atingindo idade avançada e podem nos iluminar nesse entendimento.

武風一貫
(Bufu Ikkan)
(mantenha-se consistente no método)

Pedro Henrique
2015

Advertisements