Penso que todos nós somos guerreiros e guerreiras. Não falo só dos praticantes de artes marciais, mas todas as pessoas em si. É difícil viver e sobreviver. Temos que gerenciar nossas relações, sustento, trabalho, saúde etc. Muita coisa, né? Então, acredito que todos, de alguma forma, estão se esforçando todos os dias. Se não estão, o Universo dá um empurrãozinho para tal. Portanto, não temos como falar nada sobre a vida de ninguém, não podemos julgar.

Com isso tudo, não tem jeito. No meio do caminho encontramos boas pessoas e “más” pessoas (está entre aspas porque esse conceito de “bom” e “mal” é muito pessoal). Encontramos grandes amigos (as), familiares e “professores” (alguns que temos que aprender algo de uma forma que não gostamos muito, por isso está entre aspas também). Rs.  Com tantas pessoas nos ajudando e, se você for honesto, vai ver que no meio do caminho inúmeras pessoas lhe ajudaram ou ainda estão lhe ajudando: marido/esposa, filho, família em geral, colegas de trabalho, professor de arte marcial, alunos de arte marcial, enfim todos, é meio impossível pensar que você é o responsável por tudo de bom que acontece na sua vida. Obviamente, você tem grande parcela de responsabilidade, mas não sem algum suporte. Isso vai além das relações, afinal, sem a natureza, essa aventura maravilhosa que é viver, não seria possível.

Apreciação é um estado de espírito, uma satisfação e agradecimento por todos que lhe ajudam, bem e mal, a alcançar os objetivos, também a viver e sobreviver, algo que vai além de gratidão. Não somente aos professores, mas também os alunos e todas as outras relações. É um estado de espírito tão difícil de manter, é um Kamae também. Todos nós temos dificuldades de manter apreciação e enxergar todas as coisas (boas e más) de um ponto de vista de suporte a algum objetivo que temos ou a vida em si.

Penso que todos nós gostaríamos de agradecer as pessoas que nos ajudaram/ajudam da forma que elas esperam, mas é impossível. Afinal, por N motivos, nem sempre conseguimos dar aquilo que as pessoas esperam de nós. O que não nos torna ingratos, apenas por não poder corresponder as expectativas das outras pessoas. Gratidão (do presente ao passado) e Apreciação (do presente ao passado e do presente ao futuro) são posturas muito importantes para serem cultivadas. Nos abre a mente e o coração para aprender mais, receber e compartilhar mais.

Por exemplo, quando falta apreciação real, surge a falsa sensação de ter alcançado algo por nós mesmos, sem ajuda de ninguém ou de sermos superiores (“somos bons”, “nosso taijutsu é melhor”, “nós temos os básicos” etc). Se realmente aprecia o que tem, dá valor, não se sente como algo maior (porque sabe o quanto foi ajudado). Compartilharia. Não precisa ir longe, basta pesquisar a sua história e ver que na maioria das vezes que muitas coisas boas aconteceram na sua vida, ocorreram por causa de inúmeras pessoas a volta, seja do passado ou presente.

Apreciação, como alegria, facilita o aprendizado. É tipo uma gratidão presente, não somente por algo que já foi feito, mas pelo o que é e será feito, vem antes. Apreciar as pessoas (professor (a) e aluno (a), e todas as outras), nos permite aprender mais e mais rápido aquilo que queremos ou precisamos aprender (o que depende de cada um). Também não tem muito a ver com filosofia em si, mas mais como nossas emoções interagem com o corpo.

頑張ってください
(Gambate kudasai!)
(por favor, dê o máximo de si!)

Pedro Henrique
2016

Advertisements